terça-feira, 9 de agosto de 2011

dossiê primeiro dos elefantes pequenos

detalhe do safári íntimo

Espião humilde.
Reforço ao caráter dos tão poucos que o vêem.
De vida fina e enrugada tranqüilidade.
Conduz e se deixa conduzir pela eternidade.
Vai aos pólos e não chega.
 poucas flores sobrevivem à sua leveza
 namora lento os prédios, as vielas e os penedos
e acha bom o degredo de trombar
tromba o inteiro do tempo
tromba a fantasia gerada na penúria,
a crença de que é boa tanta feiúra
É ímpio. É casto. É basto.
Silencioso
É o elefante
 o espião da humanidade.
(Carla Diacov)



nasce um elefantinho que pequeno é para o resto de sua vida. Sua vida é a infância de todos os elefantinhos, depois a sua, como a que se desenha pelas costas pelos homens pequeninos. Um elefante grande está morto, uma grande memória infantil que infla, contorna e caminha, até esquecer-se. Portanto demora-se. O grande elefante demora. Esquece-se e se vai, anos póstumos, algures, a lugar nenhum,como os edifícios esquecidos pela auto-estrada, de corpos enormes, ao lugar nenhum. Nasce um elefantinho que pequeno será, solitário será, desprovido será, pelo resto da vida. O elefante pequeno tende a ser cria única, pródigo, de rodeado pelos grandes elefantes. Os elefantes grandes são os que estão mortos, umas memórias das infâncias, de todos os elefantes, dos desenhos pequeninos concebidos pelos homens. Então, os grandes elefantes são tolhidos pelo ar (este que impediu-nos de sermos eternos) enquanto que a auto-estrada se continua, e há demasiados elefantes e edifícios para o esquecimento.
Há em cavernas e grutas os elefantes desenhados à parede, perfilados, aparentes. Cavernas e grutas enormes estão mortas, estão repletas de elefantinhos. E a memória grande soerguida, infantil, até que a auto-estrada, a lugar nenhum.

Nelson G.




7 comentários:

Bípede Falante disse...

Amei os elefantinhos e as suas elefantices por escrito :)

Carla Diacov disse...

gato pato, pato galo, galo boi, boizinho...vais gostar de mim?

MOISÉS POETA disse...

Adorei essa postagem . principalmente o primeiro texto.

um abraço !

CAROLINA SURIANI CAETANO disse...

O primeiro texto é didiacov, há-de ser sempre de que mais se gosta. Nelson que nos desculpe, mas há sempre de.

Artes e escritas disse...

Ganhei um desafio e passo adiante, pegue-o no blog http://selosarteseescritas.blogspot.com/
Será uma alegria se você participar. Um abraço, Yayá.

Ana Claudia disse...

Poxa, eu gostei tanto...

Patrícia Gonçalves disse...

Cara, gostei dos elefantes e elafantinhos!!!